Escandalo-prefeita-de-mirassol-d-oeste-e-denunciada-por-retiradas-supostamente-ilegais-de-diarias

Categoria: Mirassol D'Oeste
Acessos: 121
mirassol25Mais um escândalo sobre retiradas supostamente ilegais de diárias da Câmara Municipal, envolvendo autoridades de Mirassol D"Oeste, veio à tona. Desta vez, os denunciados são a vereadora e prefeita interina do município Marinês de Campos (PTB) e os ex-vereadores vereadores Francisco Amarante (PSD) e Elton Marques (PSC). É o segundo caso dessa natureza vindo a público nos últimos dias. O primeiro foi o do vereador e presidente da Câmara Ronaldo Jardim dos Santos, também do PSB.

Nos dois casos, o Ministério Público Estadual (MPE) já se manifestou. O promotor Leonardo Moraes Gonçalves instaurou Inquéritos Civis, para apurar as supostas irregularidades praticadas tanto pela prefeita quanto pelo presidente da Câmara.

Em contato com a reportagem do Jornal Expressão e o site Expressão Noticias a prefeita diz que se praticou qualquer erro não foi intencional. E que se for condenada está disposta a cumprir qualquer penalidade. Procurado pela reportagem o presidente da Câmara vereador Ronaldo Jardim diz que estaria entrando em contato, através de seu advogado, mas não aconteceu. A reportagem não conseguiu contato com os ex-vereadores Francisco Amarante e Elton Marques, citados na ação.

A denuncia contra a prefeita foi protocolada ao MPE pelo então presidente da Câmara, vereador Sérgio dos Santos, o Serginho da Farmácia (DEM). Consta no documento que no dia 12 de fevereiro de 2015 os vereadores Francisco Amarante, Marinês de Campos e Elton Marques, teriam protocolado um pedido para que fosse disponibilizado o veiculo oficial Toyota Corolla XEI, placa NJI-0081 (sem combustível) para uma viagem a Cuiabá, bem como três diárias com pernoite – uma para cada vereador-, cujo valor unitário era de R$ 252,00 com retorno para o dia 13 de fevereiro, cujo pedido foi deferido pelo presidente.

Narra o denunciante, que ele também, em companhia dos colegas Laércio Pereira, Milton Viana e Jânio Bonfochi, teriam se deslocado para Cuiabá no dia 13. E, que por volta das 7h30 teriam deparado, na Lanchonete do Posto 120, com os vereadores Francisco, Marinês e Elton, que haviam retirado diária com pernoite. O que se concluiu, de acordo com o denunciante, que eles teriam retirado a diária indevidamente, já que não passaram a noite em Cuiabá, faltando com a verdade. Esclarece que o valor da diária com pernoite era R$ 252,00 e a sem pernoite era de R$ 189,00.

Além disso, afirma o denunciante, que apesar de terem realizado a viagem no mesmo veículo, constam dos relatórios de viagem horários de chegada diferentes, quais sejam, Francisco Amarante — saída 18h do dia 12 e chegada 23h do dia 13, Élton César Marques — saída 18h do dia 12 e chegada 19 do dia 13 e Marinez de Campos — saída 18h do dia 12 e chegada 23h do dia 13.

Consta ainda dos relatórios de viagem, enviados ao MP, um único recibo do Hotel Ceolatro, no valor de R$ 210,00 datado de 06 de março e com data de recebimento em 12 de fevereiro. O denunciante cita que nos dias 05 e 06 de março de 2015, Francisco Amarante e Marinez de Campos receberam diárias completas e um pernoite, oportunidade em que também se hospedaram no mesmo hotel e receberam o mencionado recibo, sendo que em relação aos dias 05 e 06 apresentaram nota fiscal nos relatórios de viagem.

Outro ponto suscitado pelo denunciante é que à época a vereadora Luci Garcia Sebaldelli, havia pedido diária para o mesmo dia 13 de fevereiro, para se deslocar à Capital e em seu relatório de viagem informou que foi de veículo particular, com horário de partida às 08h e horário de chegada às 21h, contudo, cita que viajou com o trio no veículo oficial da Câmara. E, por fim, consta da denúncia que foi concedida diária no dia 19 de maio de 2015 a Marinez de Campos, para Porto Esperidião. No entanto, conforme o denunciante, Marinês teria assinado a lista de presença, tanto no período matutino quanto vespertino em palestra da Conferência de Educação realizada em Mirassol.

Perseguição política

Em contato com a reportagem a prefeita Marinês de Campos, diz que é vítima de perseguição política por parte do ex-vereador e ex-presidente da Câmara, Serginho da Farmácia. Ela conta que realmente retirou a diária com pernoite porque a viagem a Cuiabá ocorreria no dia 12 de fevereiro. Porém, como decidiram (ela os colegas) viajar na manhã seguinte, ligou para o então presidente da Câmara, para devolver a diferença, em dinheiro, porque já havia trocado o cheque para abastecer o veiculo.

No entanto, segundo ela, Serginho se negou a receber, oportunidade em que teria dito “agora é só você rezar para ninguém te denunciar”. Revela ainda que para perseguir “concidentemente” o presidente da Câmara também viajou para Cuiabá. E, lá foi até o hotel onde estavam hospedados e fotografou o veículo. “Eu não tinha maldade alguma. Tanto é que falamos onde iriamos hospedar  e ele foi ao local para fotografar o veículo e nos incriminar” .

A prefeita reclama que, desde então ela e sua família, vem passando por constrangimento e vexame por causa dessa “armação”. “Eu tenho 52 anos, deles muitos dedicados a vida pública, e venho passando vexame por essa situação. É uma perseguição política de pessoas mal resolvidas que não se conformam por terem perdido a eleição. Eu sempre trabalhei honestamente. Vivo de meu salário. Até mesmo o advogado que está me defendendo é meu amigo porque eu não tenho dinheiro para contratar. Se eu errei não foi de forma voluntária. Mas se a justiça achar que fui culpada estou disposto a pagar por isso. Diante da vergonha que estou passando a vontade que tenho é de deixar a cadeira de vereador e ir cuidar somente de minha vida e de minha família” desabafou.



Créditos: Jornal Expressão