PREFEITO DETERMINA ABERTURA DE CONCURSO PÚBLICO EM MIRASSOL D'OESTE

mirassol

 

 
 
 
 
 
 
 
 
O prefeito de Mirassol D’Oeste (295 quilômetros de Cuiabá), Euclides da Silva Paixão, determinou a abertura de concurso público para preenchimento de vagas no Poder Executivo. Conforme o decreto, publicado hoje no Diário Oficial dos Municípios Mato-grossenses, o município tem vagas não preenchidas em decorrência de aposentadorias dos servidores e abertura de novos cargos.
O gestor ainda citou o “o grande número de servidores temporários contratados anualmente para suprir as necessidades dos serviços prestados pelo município”. Segundo ele, “este tipo de contratação deverá atender a alguns preceitos para que seja considerada regular, sendo admitida somente frente a situações que não seja possível a realização de concurso público”.
A prefeitura de Mirassol já contratou, por meio de procedimento licitatório na modalidade pregão presencial, a banca que ficará responsável pela organização do concurso público. A Exata Assessoria será a organizadora do certame e, pelos serviços, receberá R$ 28 mil.
Serão preenchidos os cargos de nível superior de arquiteto, assistente social, auditor público interno, contador, engenheiro civil, enfermeiro, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, médico, psiquiatra, veterinário, nutricionista, odontólogo, professor de educação física, professor nas áreas de Pedagogia, Matemática, Geografia e Ciências da Natureza, e psicólogo.
Candidatos com nível médio completo poderão concorrer aos cargos de agente administrativo, agente de trânsito, assistente de informática, atendente de farmácia, auxiliar administrativo, atendente em saúde, auxiliar de inspetoria de produção animal, fiscal ambiental, fiscal de postura e vigilância sanitária, fiscal de tributos, monitor de creche, técnico em enfermagem e telefonista. Também serão preenchidos cargos de nível de fundamental de auxiliar de manutenção, auxiliar serviços gerais, eletricista, mecânico, merendeira, motorista, operador de máquinas e vigia.
A quantidade de vagas a ser disponibilizada para cada cargo não consta no edital de licitação. Ainda não está definida a data de abertura do certame.
 
 

Fonte: Noticis D´Oeste
 

Bandidos arrombam cofre do Banco do Brasil em Mirassol

roubo copy copyBandidos arrombam cofre de agência do Banco do Brasil em Mirassol D'Oeste. O crime aconteceu na madrugada desta sexta-feira, 9.

Os criminosos tiveram acesso ao interior do banco após quebrarem uma parede.
 
Já no interior da agência, os ladrões arrombaram um dos cofres, após neutralizarem o sistema de monitoramento (câmeras e alarmes).

O valor em dinheiro roubado do banco não foi divulgado.
 
A polícia agora está atrás de pistas que possam levar até os autores deste crime. A Politec esteve no local.
 
A previsão é que o banco volte o atendimento normal ao público, após o dia 19 deste mês.



Fonte: Mirassol Urgente



OPERAÇÃO “PARCEIRO”: Policia cumpre 7 Mandados de Prisão Preventiva e 8 Mandados de Busca e Apreensão em Mirassol

mandadosA Delegacia Especial de Fronteira (Defron) em operação conjunta com o Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron) deflagrou na segunda-feira (05) a operação “Parceiro”, onde foram cumpridos mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão domiciliar na cidade de Mirassol D’Oeste.

A ação contou com apoio da Diretoria de Inteligência da Polícia Judiciária Civil, Delegacia Regional de Cáceres e Delegacia de Mirassol.  

Foram cumpridos 07 Mandados de Prisão Preventiva e 08 Mandados de Busca e Apreensão Domiciliar no município onde se concentrava a organização criminosa, cujo chefe era um reeducando da Cadeia Pública da cidade.

As investigações apontavam que de dentro da unidade prisional, Adriano Moraes da Silva, conhecido popularmente como “Grande”, comandava o esquema de tráfico de drogas, tendo como apoiadores a esposa e outros membros.

A esposa do suspeito era o braço direito das ações criminosas de seu companheiro e também foi presa na operação. Ela levava aos comparsas cartas escritas por ele de dentro da cadeia, apontando as “diretrizes” das atividades ilícitas a serem desenvolvidas.

Apreensão                                

Durante período de investigação foram apreendidos em junho de 2017 aproximadamente 64 quilos de pasta base de cocaína, 05 veículos, presos 03 adultos e uma adolescente apreendida. A droga teria como destino os Estados de Goiás, Bahia e Minas Gerais. Duas das apreensões ocorreram na cidade de Rondonópolis e outra em Uberlândia, Minas Gerais.

No cumprimento das buscas na segunda-feira (05) foram apreendidos na residência dos suspeitos caixas de cigarros, botijões de gás e óleo diesel armazenados. Também foi apreendido um revólver calibre 38 com 06 munições intactas.

Os presos foram encaminhados para Cadeia Pública local, onde responderão pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas, entre outros.

A delegada titular da Defron, Cinthia Gomes da Rocha Cupido, parabenizou a ação conjunta das forças de Segurança Pública. “Um ótimo trabalho desenvolvido pelos Núcleos de Inteligência da Defron e Gefron. A integração possibilitou juntar provas, identificar e prender os membros da organização criminosa, retirando das ruas pessoas nocivas ao convívio social”, destaca.

O nome da Operação faz referência ao fato de que o chefe da organização criminosa, atualmente preso na Cadeia Pública de Mirassol D´Oeste, utilizar-se constantemente da expressão “Parceiro” para se dirigir aos comparsas/colaboradores durante o período de monitoramento.

Durante a deflagração da operação estiveram presentes na cidade de Mirassol D’Oeste o Delegado Geral de Polícia Judiciária Civil, Fernando Vasco Spinelli Pigozzi, o Diretor de Execuções Estratégicas representando também a Diretoria de Interior, Mário Dermeval Aravéchia de Resende, a Delegada Titular da Delegacia Especial de Fronteira (Defron), Cinthia Gomes da Rocha Cupido e o Coordenador no Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron), Coronel PM José Nildo Silva de Oliveira.




Fonte: Assessoria Policia Civil

 

Homem morre após sofrer descarga elétrica em acampamento religioso em Mirassol

religiaoNa tarde de sexta-feira (9), um homem de 60 anos morreu após sofrer uma descarga elétrica em uma fazenda no município de Mirassol D’Oeste, o acidente aconteceu durante os preparativos de um encontro de oração da Renovação Carismática que aconteceria a partir deste sábado (10).

A vítima Valdir Alves (60 anos) foi socorrida pelo proprietário da Fazenda, e encaminhada ao Hospital Samuel Greve em Mirassol D’Oeste, porém não resistiu e veio a óbito.

Segundo o boletim de ocorrência no acidente mais duas vítimas sofreram as descargas, sendo Juvenil Ferreira da Guia Pedro Camargo e Edmilson Pereira que encontram-se fora de risco, apenas com dores pelo corpo e pequenas escoriações.

De acordo com o proprietário da Fazenda, estavam na propriedade cerca de 15 pessoas realizando os preparativos do encontro que se iniciaria neste sábado a partir das 15h, e que nas movimentações, algumas pessoas mudavam uma cruz de metal de local, quando se ouviu um estouro, a cruz tocou a rede de alta tensão.
O senhor disse os policiais que saiu correndo da residência e encontrou as vítimas caídas ao solo. Que de imediato teria colocados todos em sua camionete e se direcionou ao Hospital, no caminho teria encontrado com uma ambulância e teria feito o transbordo das vítimas.

Os organizadores do evento, avisam que o mesmo foi cancelado, e que os participantes estão sendo avisados.
O acampamento é responsável pelo resgate de famílias, tem sido uma arma importante no processo de evangelização, os relatos de muitos são de que viveram no local, momentos de encontro verdadeiro com o espirito santo, afirmou um dos participantes.



Fonte: Jornal Oeste

Ex-prefeito Luiz Emanoel Vasconcelos Godoy e o empresário Aniloel Cbriotti, Luciano Campesatto de Mirassol são condenados a devolver R$ 72,3 mil e suspensão dos direitos políticos pelo prazo de 6 anos

justiçaOs desembargadores da Segunda Câmara de Direito Público e Coletivo do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) mantiveram a condenação do ex-prefeito de Mirassol D’Oeste (a 300km de Cuiabá), Luiz Emanoel Vasconcelos Godoy e o proprietário da empresa construtora Campesatto e Aniloel Cbriotti, Luciano Campesatto por ato de improbidade administrativa. Segundo o processo a empresa foi contratada de forma irregular e, além disso, de utilizar matéria-prima de outras obras inacabadas no município. O magistrado estipulou que ambos os responsáveis terão de pagar o valor da licitação (R$ 72,3 mil), além de suspensão dos direitos políticos pelo prazo de 6 anos.

A ação de improbidade administrativa foi proposta pelo Ministério Público do Estado (MPE) que defendeu a responsabilização dos réus em virtude das irregularidades no processo licitatório – Carta Convite 23/2005 – do Município de Mirassol D’Oeste, cujo objeto consistia na construção de duas salas para o ensino fundamental (com área de construção de 220,50 m²). O Ministério Público argumentou na ação que o processo licitatório foi fraudado, pois logrou-se vencedora a empresa Construtora Campesatto Ltda., da qual o engenheiro responsável na época, também prestava serviços à prefeitura.

Além disso, sustentou que apesar da empresa vencedora do certame ter recebido a quantia de R$ 72 mil, a obra foi executada não pela construtora, mas por servidores públicos do município, bem como a matéria prima utilizada para a construção foi proveniente do reaproveitamento de material que sobrou da demolição de outras duas escolas municipais desativadas.

O desembargador e relator do caso, José Zuquim Nogueira, entendeu que é inconteste o dolo do administrador. “A empresa vencedora da licitação, para a execução da obra de duas salas de aulas, recebeu integralmente para o serviço contratado, porém, utilizou-se da mão de obra de servidores públicos, bem como de material fornecido pelo próprio município de Mirassol D’Oeste. Resta demonstrado, portanto, que o procedimento licitatório, que objetivava a execução de obras de duas salas de aula, serviu de mera formalidade e frustrou o caráter competitivo do certame”, ponderou.

Após estas considerações o magistrado determinou a pena aos réus no processo de improbidade. “Atendendo aos critérios de razoabilidade e proporcionalidade, reduzo o valor da multa civil de duas vezes o valor do dano experimentado pela Administração, à época, para 01 vez, devidamente atualizado nos termos da sentença recorrida; com relação às penalidades de perda dos direitos políticos, reduzo o prazo de 8 anos para 06 anos, mantendo, no entanto, a sanção de proibição de contratar com o Poder Público, por 05 anos, acompanhando precedente deste Tribunal, em situação semelhante”.
 
 

Por Assessoria